sábado, junho 06, 2009

# 053

Uma nuvem de peixes passava, quem guardou guardou, e se a mulher subir é guerra. Saiu do fio de buriti ao som da taquara de ontem, tocou uma árvore forte pra jamais esquecer. Coaraci entrava frio nas folhas, muitos olhos viram aquela memória. Só o guaraná entendeu.

4 comentários:

Roney Freitas disse...

profecia

Amanda Ferreira disse...

muito bom esse!

"se a mulher subir é guerra". me fez pensar na Iara. e me fez pensar também no Macunaíma, naquele trecho em que a Cuca vira uma estrela no céu depois de perseguir o herói.

Roney Freitas disse...

...me fez pensar também.

Me fez lembrar mais coisa,
futura até, mas ainda não sei ao certo.

(ainda bem que o guaraná entendeu, porque eu não... tem coisa que sai assim)

Débora Poulain disse...

Texto saboroso. Teu blog está no meu. Baci, Débora!